segunda-feira, 10 de dezembro de 2018

A Nosema



Doença das abelhas: A Nosema

A Nosema é uma doença das abelhas adultas que afeta o tubo digestivo e causa diarreia aguda que pode levar à morte da abelha e à perda de colônia se muitas obreiras forem afetadas. Até recentemente, essa condição era causada pela rápida multiplicação de um parasita do epitélio intestinal, Nosema apis, pertencente ao grupo Microsporidia.

São organismos unicelulares próximos de leveduras que se desenvolvem dentro de uma célula e se diferenciam em esporos. Noséma apis, descoberto em 1909 por Zander, foi originalmente classificado no ramo de protozoários, mas após pesquisas a nível molecular foi reclassificada em 2006 Nosema in Fungus (fungos).

 Recentemente, outro microsporídeo, Nosema Ceranae, foi detetado na Europa (Higes et al., 2006). Os esporos produzidos pelas duas espécies de Nosema têm formas muito semelhantes e só se podem diferenciar pelo método de microscopia óptica classica. É necessário usar técnicas de biologia molecular para identificar infecções ou coinfecções por cada um desses patógenos. Nosema ceranae foi encontrada em amostras de colmeias de ilha Ouessant cujo isolamento é muito rigoroso desde 1976 (as abelhas de Ouessant estão livres de varroa). Este parasita pode estar presente nas nossas colmeias desde a descoberta do Nosema apis no início do século, mas as  técnicas laboratoriais não conseguiram diferenciar os dois. Sua maior virulência nos últimos anos pode ser explicada por uma melhor adaptação à nossa abelha Apis Mellifera. (Originalmente era um parasita da abelha asiática Apis Ceranae, como era a varroa que também se soube adaptar às nossas abelhas).
  
 As diferenças mais significativas entre os dois tipos de Nosemoses são a ausência de traços de diarreia e o rápido desaparecimento da colônia com Nosema ceranae. As abelhas podem morrer 8 dias após a exposição á Nosema ceranae. As campeiras parecem ser as mais afetadas. Eles deixam a colônia e estão muito fracas para o retorno.


A evolução da doença:

Muitas vezes ingerido com o mel, o esporo de Nosema irrompe no intestino. Sob o efeito do meio, o filamento polar se desenrola, se ligará à membrana do ventrículo e perfurará uma célula da parede. O germe ameboide contido no esporo vai migrar para a célula através do filamento. Lá ele parasita, divide-se e destrói a célula. Os germes se tornam esporos e reinfestam outras células. A doença é declarada. A multiplicação é muito rápida, logo a membrana romperá, a comida e a hemolinfa se misturarão. A abelha está condenada.


Causas que a favorecem:

- Colmeias mal expostas, muito sombrias.

- Os longos períodos de confinamento durante o tempo chuvoso as abelhas infestadas esvaziam seu intestino na colmeia e contaminam as limpadoras.

- Um desequilíbrio de limpadoras que eliminam a doença, engolindo o lixo e deitando-o do lado de fora.

- Hibernarem só com melada difícil de digerir, deixando os resíduos no intestino da abelha.

- Alimentação tardia.
 
- Pilhagens, materiais sujos.

- Colônia enfraquecida (Pesticidas, Varroa).
- As abelhas velhas são mais frágeis por causa da renovação mais lenta das células.
- Ceras demasiado velhas, os esporos de Nosema estão sempre presentes nas colmeias, mesmo em colónias saudáveis, mas as ceras velhas podem conter grandes quantidades de esporos.



Profilaxia (maneira de prevenir):

- Hibernar as colmeias em um lugar seco e ensolarado.

- Provisões de inverno suficientes e sem melada ( de preferência).
-Evite a umidade nas colmeias (estrado ventilado).
- Estimule a criação no outono, abelhas jovens com gordura bem desenvolvida resistirão melhor e ajudarão a colônia a reiniciar bem na primavera.
-Evite dar alimentação muito tarde.
- Elimine colônias fracas.
-Renovar periodicamente as ceras. (ceras com o maximo 5 anos)
- Desinfete o equipamento com frequência.


Prevenção:

Atenção não há nenhum tratamento homologado para tratar a nosema pelo que se deve fazer prevenção

Prevenção da Nosema com ácido acético  

O ácido acético mata os esporos de Nosema

1)      4 a 8 ml de ácido acético puro por litro de xarope 50/50% água e 1 litro de xarope por semana por colmeia. A totalidade das colmeias devem ser tratadas. 

2)      Prevenção com vinagre de cidra: fazer um xarope com 60/ 40% água juntar a frio 50 gr de vinagre de cidra e 2 ml de ácido acético por litro de xarope. 
 O PH do xarope que é 8,06 passará para 3,44, o que impedirá o desenvolvimento dos esporos de Nosema no intestino da abelha.

https://www.macmel.pt/index.php?route=product/search&search=Nosevit
 
3)      Prevenção com Nosevit. Juntar 5 ml de Nosevit num litro de alimento liquido. Repetir a operação passados 15 dias, fazer no início de primavera e no fim do verão 

https://www.macmel.pt/

Sem comentários:

Enviar um comentário

A moderação de comentários está activa. Todos os comentários têm de ser aprovados pelo autor do blogue.